arte no tempo : blog

A Associação Arte no Tempo tem por objectivo a divulgação da arte musical contemporânea através da promoção de eventos culturais, do incentivo à criação e à interpretação, da edição e da realização de actividades performativas.

sábado, 12 de março de 2005

Estreia absoluta - John Chowning

Decorridos cerca de 25 anos sobre a composição da última obra que conhecemos do inventor da síntese por FM, acontece hoje, em Paris, às 19h30m portuguesas, a estreia mundial da 5ª obra trazida a público do compositor americano John Chowning.

Encomenda do INA-GRM, a obra "Voices" foi composta para soprano e electrónica e será interpretada por Maureen Chowning, na sala Olivier Messiaen - Maison de Radio France.
O resto do concerto será preenchido por obras para instrumento(s) e electrónica dos compositores Daniel Teruggi, Nicolas Vérin e Jean-Claude Risset, sendo as dos dois últimos igualmente estreias absolutas resultantes de encomendas do GRM.

Obras do compositor John Chowning:
*Sabelithe (1971) / *Turenas (1972) / *Stria (1977) / *Phoné (1980-81) / Voices (2005)

* disponíveis em versão stereo no CD (wergo) WER 2012-50

http://www.ina.fr/grm/agenda/index.fr.html

9 Comentário(s):

  • At 12/3/05 16:11, Blogger Decompositor escreveu

    Parabéns Diana!
    Um "Template" próprio e tudo...
    LP

     
  • At 13/3/05 01:13, Blogger dino escreveu

    E há dias, no Mezzo, ouviu-se pelo Quarteto Debussy, que anda a fazer a sua tournée pelos States, o fabuloso 9º Quarteto de Cordas de Chostakovitch, talvez o melhor quarteto já escrito neste século. O que acham dele?

     
  • At 13/3/05 01:17, Blogger dino escreveu

    Não sei quem é esse Chowning, mas gostava de conhecer. O meu compositor favorito é Chostakovitch, como o meu post acima indica. Gosto praticamente de tudo, mas gostav, se fosse possível, de trocar impressões sobre este grande compositor contemporâneo, que nos deixou em 1975 com uma obra gigantesca, 15 Sinfonias e Quartetos de Cordas, 6 Concertos, imensas obras para piano, etc. Esse Chowning só fez até agora 5 obras? inacreditável! Não tem ideias, ou é mesmo assim, só compôe de vez em quando, por dar aulas, ter outros "jobs", ou quê?

    Muitos abraços!

    Dino

     
  • At 13/3/05 22:24, Blogger arte no tempo escreveu

    Obrigada, Decompositor! Para que se veja como eu percebo destas coisas, quando recebi o email a informar sobre o comentário do LP, enviei um email em resposta, em vez de vir aqui "conversar".
    O "template" não é da minha autoria, claro está! Obrigada ao João Martins, nosso webdesigner.
    D

     
  • At 14/3/05 01:52, Blogger dino escreveu

    Mas, afinal, qual é a vossa opinião do Chostakovitch, ou só querem falar desse Chowning? E não há mais posts? para que serve um blog se depois não há discussão dos assuntos? Para que pôem então vocês acesso a comentários? É só para os amigos?


    Abraços,

    Dino

     
  • At 14/3/05 15:58, Blogger Decompositor escreveu

    Dino,
    Não acho que os gostos sejam assim tão importantes. Há uns que gostam deste compositor outros doutro, e pouco mais há dizer senão expressar algo de muito subjectivo que acaba com toda a possibilidade de discussão. Chostakovitch é um grande compositor para uns, um óptimo para outros, ou mais-ou-menos para outros ainda. Importante é ir conhecendo de tudo. Se achas o Chostakovitch o maior de todos os tempos ninguém te pode dizer que isso é bom ou mau. É como é. Mas já agora, para compreender bem a música de Chostakovitch é essencial estudar um pouco a situação sócio-política na URSS naquela altura. Isso ajuda a compreender muitas decisões de carácter musical do compositor.
    Estou para aqui a dar conselhos mas nem sei bem a quem. Quem é o Dino?
    LP

     
  • At 15/3/05 01:26, Blogger arte no tempo escreveu

    Caro Dino,

    Seja bem-vindo ao blog da Arte no Tempo.
    Espero que as palavras que se seguem não o desencorajem de participar em futuras discussões connosco.

    Antes de mais, gostaria de o encaminhar para um espaço onde poderá ficar com uma ideia aproximada de quem é o compositor John Chowning e da importância do seu trabalho de investigação que conduziu à “invenção” da síntese por FM e à simulação de movimento de fontes sonoras.
    http://www.ina.fr/grm/acousmaline/polychromes/chowning/index.html
    A Arte no Tempo tem planos de promover o acesso em língua portuguesa ao trabalho de J. Chowning, mas para já ainda não nos é possível apontar uma data para a concretização desses planos.

    Quanto ao compositor D. Chostakovitch (ou Shostakovich – para o caso, é indiferente), do pouco que conheço do seu trabalho, acho realmente os quartetos de cordas o mais interessante. Quero no entanto chamar a sua atenção para um pormenor: estamos no ano de 2005 dC, o que significa que estamos no séc. XXI, ao qual Chostakovitch não chegou, dado que, como muito bem indica no seu “comentário”, morreu em 1975. Assim, ainda que quiséssemos estar a discutir (ou lamentar) os gostos uns dos outros, não poderíamos estar a tentar classificar o quarteto nº9 como o melhor quarteto escrito neste século.
    De resto, subscrevo o comentário do Decompositor LP.

    Tive o cuidado de passar pelo seu blog e vejo que se preocupa em classificar a música de Chostakovitch como contemporânea (1). Quanto à sua música, não sei; em relação ao compositor, ele terá sido certamente contemporâneo de alguém, mas não meu nem da Associação Arte no Tempo, que já foi criada neste século.
    É com uma certa estranheza que recebo a sua impaciência relativamente à nossa participação no blog da Arte no Tempo e devolvo-lhe as perguntas relativamente à utilidade de um blog.
    http://chostakovitch.blogspot.com/
    Calculo que, tal como nós, não tenha muito tempo para responder ou publicar textos diariamente.

    D

    __
    (1) segundo o dicionário online http://priberam.pt/dlpo/
    contemporâneo - que ou aquele que é do mesmo tempo, da mesma época, especialmente da época em que vivemos; coevo.

     
  • At 15/3/05 08:19, Blogger dino escreveu

    Tudo bem, eu sei o que é contemporâneo! Eu oiço muito Michael Nyman, Arvo Part, John Adams, Henryk Gorecki, John Tavener e outros ainda. Achei mutio pedante estarem a explicar o que é contmeporâneo. Mas pronto. Se acham que agora em 2005 já não tem nada a ver com século XX, digo-vos que o melhor quarteto de cordas neste século, para mim, é o do Thomas Adès. E deste, também não têm opinião?

     
  • At 15/3/05 08:20, Blogger dino escreveu

    Tudo bem, eu sei o que é contemporâneo! Eu oiço muito Michael Nyman, Arvo Part, John Adams, Henryk Gorecki, John Tavener e outros ainda. Achei mutio pedante estarem a explicar o que é contmeporâneo. Mas pronto. Se acham que agora em 2005 já não tem nada a ver com século XX, digo-vos que o melhor quarteto de cordas neste século, para mim, é o do Thomas Adès. E deste, também não têm opinião?

     

Enviar um comentário

<< Entrada